Document File 1: O Motivo Por Trás Daquele Momento de Silêncio

AVISO – CONTÉM SPOILERS DE RESIDENT EVIL 7: BIOHAZARD.
Resident Evil 7: Biohazard Document File recolhe e detalha os passos iniciais do que conhecemos hoje como o sétimo game numerado da série, passando por todas as fases do desenvolvimento e decifrando os mistérios por trás de sua produção.
A documentação foi realizada por uma equipe externa, responsável por construir o relatório chamado Inside Report, que posteriormente foi traduzido pela Active Gaming Media e agora está sendo comercializado internacionalmente pela Play-asia. Essa é apenas uma tradução pessoal feita por Gabriel Camara (@carabina360), que pode conter interpretações e um certo nível de adaptação para a língua portuguesa, sendo uma versão não oficial do produto.

2016, dia 14 de junho, ás 9:30 da manhã no horário local (Japão).

Masachika Kawata, o produtor da série Resident Evil e vários funcionários da Capcom estavam em Los Angeles, aguardando com muita antecipação e ansiedade. Eles estavam no maior evento de games do mundo, a E3 2016. As suas conferências tinham a atenção de milhares jogadores pelo globo, e o time estava prestes a anunciar um novo jogo. Era o próximo título numerado de uma série que a Capcom havia colocado seu coração e alma, uma série aclamada internacionalmente.

A conferência de imprensa da Sony na E3 2016 finalmente começou ás 10 horas da manhã. Uma série de jogos AAA foram anunciados para o PlayStation 4, preenchendo o local com aplausos em cada apresentação.

Vinte minutos após o início da conferência, o ambiente estava envolto em um silencio esquisito. Um trailer tinha acabado de começar.

O olhar da plateia estava colado na tela. A primeira coisa que ouviram era um telefone tocando. Depois, enxergavam uma casa abandonada. Um corpo estava caído no chão. Havia algo que lembrava órgãos e então, personagens misteriosos tomaram cena. Mas assim que o trailer terminou e o título apareceu, não era apenas o local que estava colorido pela animação e os gritos da plateia, jogadores pelo mundo trovejaram tal animação.

Era Resident Evil 7, a tão aguardada sequência da série Resident Evil.

A propósito, se você voltar atrás e pensar naquela live stream, irá notar algo.  Estou me referindo aos momentos que antecederam a aparição do título e os aplausos. O motivo por trás daquele momento de silêncio certamente era algo que o Kawata e o restante da equipe esperavam. O anúncio inesperado de Resident Evil 7 causou confusão; a revelação do que os espectadores imaginavam ser uma nova franquia, era na verdade Resident Evil. No meio desse choque, nem a surpresa e os gráficos realistas deste novo capítulo da série conseguiram evitar certo receio por parte dos fãs. Vista como a maior mudança de direção até o momento, o anúncio deixou todos em silêncio por um tempo, antes desses vários sentimentos converterem para deleite.

Kawata e o resto do time estavam absurdamente aliviados após ver essa reação. A introdução de Resident Evil 7 para o mundo foi recebida como o planejado, provavelmente ainda melhor que o antecipado, e eles conseguiram testemunhar tudo isso no instante que aconteceu.

Até o anúncio na E3 2016, a equipe vinha escondendo a existência de Resident Evil 7. Na nossa sociedade acostumada com a informação disseminada pela internet, você provavelmente não irá encontrar outro título AAA que teve tão poucos vazamentos antes de ser anunciado. Essa surpresa só foi possível graças ao trabalho duro do time por trás da série Resident Evil.

O esforço valeu a pena. Notícias sobre o jogo nunca mencionado antes, o novo Resident Evil, se espalharam rapidamente pelo planeta. Vários jogadores ao redor do mundo estavam esperando por essas notícias.

O primeiro Resident Evil foi lançado no Japão em 1996, no dia 22 de março. Durante os próximos vinte anos, a franquia passou por várias evoluções, ganhando novos fãs a cada novidade, até o ponto em que se tornou conhecida por qualquer um, não apenas jogadores.

Por isso, as informações sobre o sétimo jogo da franquia impactaram o mundo.

Imagino que muitos leitores já saibam disso, mas Resident Evil está caminhando para uma direção completamente nova com o 7. A intenção era retornar a fórmula para as raízes, só que ao mesmo tempo evoluí-la.

Os gráficos horrendos são a primeira coisa a se notar. Para o desenvolvimento de Resident Evil 7, a Capcom criou um novo motor gráfico, que agora é conhecido como RE Engine. Ele é capaz de produzir cenários foto realistas no nível de filmes live-action, não apenas pela forma em que renderiza objetos, mas também como captura poeira e detalhes semelhantes para gerar atmosférica. Originalmente criada para Resident Evil, a RE Engine é considerada completamente capaz de produzir conteúdo next-gen, e por esse motivo a Capcom planeja utilizá-la em outros títulos no futuro.

As mudanças mais revolucionárias de Resident Evil 7 estão localizadas na área da jogabilidade. A perspectiva foi trocada da terceira pessoa para uma “visão isolada”, conhecida como a perspectiva em primeira pessoa. O  setting volta a ser uma mansão horrenda, como no primeiro jogo da série, e não há sinal de outros personagens conhecidos da franquia Resident Evil. Não são apenas os inimigos; os detalhes do protagonista também foram omitidos.

Uma demo de Resident Evil 7 foi lançada junto ao anúncio do game. A surpresa de receber essa demo justo no dia de anúncio, garantiu berros de aprovação e muitas reações positivas pelo globo.

Quem mais prestou atenção nas reações dos jogadores, foi o próprio Kawata. Por mais que ele estivesse aliviado com a resposta ao anúncio do jogo, ele observou todo o acontecimento friamente. Kawata é o produtor da série Resident Evil e tinha o papel de garantir que o projeto tivesse sucesso.

O game anterior, Resident Evil 6, vendeu 6.7 milhões de cópias mundialmente. Não seria nenhuma novidade esperar que sua sequencia seguisse os mesmos passos. Mas Resident Evil 7 não fez isso. Por que, na posição de um produtor, Kawata decidiu tomar riscos ao seguir com uma nova direção?

Para entender o porquê,  você precisa saber o que Kenzo Tsujimoto, CEO da Capcom, sempre diz aos seus empregados:

Sempre tente fazer o melhor conteúdo que você conseguir.

Um desses funcionários tomou essas palavras com o coração. O produtor executivo de Resident Evil 7, Jun Takeuchi.

Takeuchi tinha duas ideias em mente. Uma era realizar os pedidos de Tsujimoto e produzir o melhor conteúdo possível. A outra, era resolver uma série de problemas persistentes dentro da indústria de jogos japonesa. Exemplificando, as dificuldades do crescente valor de produção e a necessidade de desenvolver novos talentos. Takeuchi queria construir um ambiente de desenvolvimento mais eficiente, e mais importante, ajudar a educar esses novos talentos da empresa para a próxima geração. Quando ele foi escolhido para gerenciar o projeto do Resident Evil 7, a primeira coisa que ele perguntou ao time foi: “o que realmente é Resident Evil?”.

Se, por exemplo, o time quisesse que os mesmos jogadores que experienciaram o primeiro Resident Evil, sentissem o mesmo medo que eles tiveram pela primeira vez jogando, eles precisavam ser cuidadosos para não criar um game que só existiria por conta da nostalgia. O necessário era criar um novo tipo de horror, mas um horror que ainda tivesse o que fez o primeiro Resident Evil se destacar. O primeiro passo de Takeuchi, tanto na produção de Resident Evil 7 quanto na produção de uma nova geração de talentos, foi perguntar para cada um do time: “o que é Resident Evil?“. Ele gerenciou o ambiente de trabalho, enquanto ajudava novos desenvolvedores a crescer dentro da companhia.

Era natural que Kawata, a pessoa que cuidava da série Resident Evil e trabalhava na Capcom há muito tempo, concordasse com esses esforços de Takeuchi.

É claro, que não havia certeza alguma, em relação a aceitação desse Resident Evil inconvencional pelos fãs de longa data da franquia. Foi por isso que, antecedendo a E3, o Kawata decidiu prestar tanta atenção na resposta dos jogadores.

Resultado: a plateia estava repleta de gritos apaixonados e empolgação após o choque. Vídeos de reação do momento em que os jogadores assistiram o anúncio, foram publicados por todos os sites de mídias sociais. Clipes onde esses fãs literalmente pulavam de alegria se tornaram um tópico de discussão.

A demo também espalhou a palavra. Mas como o esperado, haviam certas confusões em relação as mudanças extremas para a série Resident Evil. Porém, ao mesmo tempo, surgiram várias impressões como as seguintes frases: “eu senti medo demais para continuar“, “até meus próprios passos me assustaram” ou “eu mal tinha coragem de ir até o banheiro“.

Todas elas concordavam com uma única coisa: “isso é realmente assustador“.

Essa era a resposta que Kawata e o time de desenvolvimento esperavam.

Como fãs de jogos, nós sempre olhamos para o lançamento do novíssimo game da nossa série favorita como uma data sagrada. Mas antes desse dia glorioso, há vários momentos de dificuldade.

Como Resident Evil 7 se tornou o que é hoje? Quais foram os desafios que enfrentaram ao longo do caminho? Este relatório detalha o percurso até o anúncio na E3, e os passos após o lançamento do game.

A partir do próximo capítulo, vamos dar uma conferida no nascimento de Resident Evil 7.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s