No Man’s Sky – Análise

Uma esfera habita um plano escuro aparentemente infinito, cedendo espaço apenas para pequenos raios de luz na distancia. Abismado com a abstração dessas luminosidades, você procura identificar o que está em seu alcance. O quão grande será que essa mancha redonda realmente é de perto? Será que ela é oca? E se não for, existe vida perambulando dentro dela? Se eu puder ir lá estudar, recolher, matar e destruir, haverá consequências ou respostas?

Contemplar a imensidão intergalática gera apenas dúvidas, sem nada definido para ditar o que realmente é lá fora, e talvez seja exatamente isso que traz a magia para os entusiastas e sonhadores presos aqui em baixo. É muito provável que essa sensação inigualável de infinidade e realidade além da compreensão seja subjetiva e pessoal demais para cada ser, casando com ideologias e crenças de todos os tipos, sendo praticamente impossível de replicar para todos ao mesmo tempo. Mas No Man’s Sky de alguma forma quis dar esse primeiro passo no mundo dos games, o que inclusive, pode ser considerado muito corajoso ou pretensioso.

No 2

Os últimos anos repercutiram em um caminho bem estreito para a equipe Hello Games, que continuava moldando esse projeto megalomaníaco, longe de ter forma ou padrão aos olhos do público, além de ser considerado obviamente grandioso demais para ser verdade. Acontece que após alguns adiamentos, o jogo está aqui em nossas mãos. Ele é real, ele tem uma estrutura e ela é palpável de uma maneira que poucos conseguiriam identificar em seu tempo de desenvolvimento.

Perdido em um planeta que você nunca viu, cercado por vegetação, fauna ou a falta dela. As primeiras horas do título exibem exatamente com o que você vai estar lidando por toda sua experiencia em No Man’s Sky. Você é um respeitável observador, um temível aniquilador, ou um admirável explorador. São grandes títulos que remetem grandes ramificações de jogabilidade, porém suas definições não refletem exatamente uma grande diferença mesmo que você queira. Seu caminho é trilhado, e por mais que possa ser totalmente explorado sem guia, as coisas vão parecer iguais da mesma forma.

De qualquer maneira que queira jogar, você precisa estar dentro e de acordo com as mecânicas de sobrevivência e progressão determinadas. Se não for caçar componentes, vai ficar sem combustível, e sem combustível, nenhuma de suas principais ferramentas pode ser utilizada. É um conceito tão simples quanto familiar atualmente, mas que não necessariamente se mistura bem com a ideia de que você é livre para explorar o universo.

No 4.jpg

Muitas de suas horas vão conter caminhadas longas, exploração de bases, mineração ou contato com outros seres para prosseguir com sua jornada. Tudo isso considerando que os planetas raramente tem mudanças notáveis em seu ecossistema, tirando cor e algumas vegetações. A grande maioria pode ser considerada vazia ou desinteressante depois de várias vezes repetindo o processo de aterrissar e deixar planetas. Não existe uma diversidade competente para agarrar um público mais disperso, antes que enjoem totalmente da experiencia.

Contudo, para as pessoas mais dispostas ou familiarizadas com administração de recursos, alguns momentos iluminadores devem surgir depois da insistência. A estrutura do jogo é bem fechada, e quem tiver gosto só com a ideia de catalogar, observar, nomear e aprender coisas novas dentro deste universo, vai encontrar satisfação com as conquistas mais pequenas e humildes em sua jornada.

no.png

No Man’s Sky está muito longe de ser algo grandioso, mas em seus pequenos momentos de conquistas pessoais consegue refletir qualidade e uma mensagem que dá carisma único para o game. Embora que, essas qualificações especificas briguem dentro de um sistema fechado e repetitivo demais para se transformarem substanciais o suficiente.

É impossível atingir metas e agradar a massa dentro de um conceito tão rico quanto esse, e cada vez fica mais claro pra mim que querer compactar essa infinidade de possibilidades a uma mídia cheia de limitações, só pode resultar em experiencias repetitivas e desmotivadoras.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s